feapesc sc

Dia Nacional do Aposentado- 24 de janeiro

O ano de 2018 que se inicia promete passar rápido, com carnaval, feriados, copa do mundo e eleições. Em relação aos direitos, a luta continua para impedir a maldita reforma previdenciária que acaba com o sonho de aposentadoria dos trabalhadores e com a pensão.

Comemora-se o Dia Nacional do Aposentado no dia 24 de janeiro, a partir da criação da Lei 6.926/1981 de autoria do ex-deputado federal e ex-presidente da Cobap Benedito Marcilio. A data foi escolhida para lembrar e comemorar o histórico dia que foi aprovado a Lei Eloy Chaves em 24 de janeiro de 1923, dando origem à Previdência Social, que hoje paga benefícios a mais de 33 milhões de pessoas.

Devemos homenagear todos os trabalhadores e aposentados que estão sempre presentes em todas as lutas em defesa da democracia, contra a extinção do Ministério da Previdência, contra as reformas trabalhistas e previdenciária, contra todas as medidas do governo Temer com suas privatizações, a entrega do Pré-sal e da Petrobrás ao capital internacional. A injustiça contra o povo brasileiro, lançando o povo ao desespero, condenando à miséria, ao desemprego, à fome e às mais diversas formas de violência.

A maldade do presidente Temer contra os trabalhadores e aposentados é tanta que chega a retirar R$ 10,00 do misero salário mínimo. De R$ 937,00 passou para R$ 954,00. A inflação chegou a 2,95%, o salário mínimo foi 1,81% e para os que ganham acima do mínimo foi 2,07%, bem abaixo da inflação.

A obsessão do Temer pela Reforma da Previdência não tem limites, gastando dinheiro público com propaganda enganosa, mentindo e iludindo o povo, alegando o tal déficit ou rombo, comprando votos dos parlamentares e perdoando dividas dos empresários, banqueiros, dos latifundiários, prefeituras e Estados, em troca de apoio pela reforma da Previdência.

Em reunião com o senador Paulo Paim, em janeiro do ano passado o presidente da COBAP Warley Martins Gonçalles, sugeriu a instalação da CPI da Previdência e o senador aceitou o desafio e iniciando os trabalhos em abril, sendo concluído em outubro com a aprovação do relatório por unanimidade no Senado. O relatório contém 253 páginas, 31 Audiências Públicas e ouviram mais de 140 pessoas, representantes do governo, sindicatos, associações, empresas, Ministério Público e da Justiçado Trabalho, parlamentares, auditores, especialistas, e outros. Segundo o Relatório da CPI, não existe déficit. Existe problema de gestão, sonegação, desvios de recursos e dividas. As empresas privadas devem R$ 450 bilhões à Previdência.

Os aposentados e trabalhadores vivem momentos de tensão e de descrédito nos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Não confiam no presidente, na maioria dos deputados e senadores e do STF, que se venderam aos interesses do grande capital. É a idolatria do dinheiro, tão fortemente denunciado pelo Papa Francisco, que provoca toda a forma de violência e perversidade.

A Cobap, com as Federações, as associações e sindicatos, prestam homenagem aos aposentados e reafirmam o compromisso de continuar lutando por suas reivindicações e pela dignidade destes valorosos companheiros, que tanto trabalharam para construir e lutaram por este pais, que representa uma das maiores economias do mundo. Economia mal distribuída, que alimenta e engorda cada vez mais o capital, esse monstro, que assusta e domina governos, parlamentares, judiciário e meios de comunicação, que explora e exclui a maioria do povo, que mal tem o necessário para sobreviver.

RESISTIR SEMPRE, DESISTIR NUNCA. A LUTA NÃO SE APOSENTA.

Warley Gonçalles Martins - Presidente da Cobap   e  Luiz Legnãni  - Secretario Geral