feapesc sc
publicidade feapesc

Previdência Social sofre interferência dos governos desde a sua criação

Desde que foi criada em 1921, a Previdência Social enfrentou um batalhão de reformas e intromissões em suas regras e, principalmente, em suas receitas. A montanha de dinheiro que foi desviado do caixa da Previdência por inúmeros governos é incontável. Bilhões e bilhões foram utilizados para diversas finalidades.

 

Dentre os diversos desvios de finalidades com o dinheiro da Previdência Social estão a criação da Companhia Siderúrgica Nacional, a construção de Brasília, a Ponte Rio-Niterói, a Transamazônica e muitos outros empreendimentos caros. Nada disso foi devolvido pelos governos e nunca houve controle financeiro do uso desse dinheiro.

 

A receita previdenciária no Brasil soma atualmente mais de R$ 400 bilhões. Essa receita é superior a muitos países do mundo e comparável a países com um grau de desenvolvimento econômico muito elevado, o que não é o nosso caso. O índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que mede qualidade de vida, educação, saúde, segurança, etc., também é alto nesses países. Já, no Brasil o IDH é um dos piores do mundo embora o nosso sistema de arrecadação de contribuições do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social é exemplo para o mundo e a receita é a segunda maior do Brasil.

 

Para se ter uma ideia do potencial dessa receita do INSS e do seu alcance social existe cerca de R$ 426 bilhões de créditos a receber de devedores, Além disso existem os sonegadores, a DRU, a desoneração da folha e as renúncias fiscais da Previdência.

 

A Previdência é o único sistema que possui liquidez diária, dinheiro em caixa com contribuições que são recolhidas diariamente com diversos tipos de benefícios.

 

A COBAP defende a devolução do dinheiro da Previdência e conclama a população brasileira, que é a verdadeira pagadora dessa política social, a ir para as ruas diante do temor quanto ao futuro da Previdência Social.

 
 
fonte:Assessoria econômica da COBAP